A bebida acaba com a familia

image


O que o álcool faz com a família?

Entre as doenças que podem surgir, estão gastrite crônica, úlcera, cirrose, hepatite tóxica, além da maior chance de desenvolvimento de câncer. O sistema nervoso também é afetado, com alterações de memória e síndrome da abstinência, por exemplo.


Quando a bebida acaba com a família?

Finalmente, filhos de alcoólicos, quando adultos, poderão vir a apresentar dificuldades como ausência de confiança em si próprios e em outras pessoas, dificuldades em identificar e exprimir emoções, dificuldades no envolvimento de relações afetivas íntimas e estáveis e sentimento de culpa.


Como o alcoolismo afeta os filhos?

Dados apontam que os filhos de pais alcoolistas são pessoas com alto risco de desenvolver problemas emocionais, de conduta, de aprendizagem e legais, risco este que chega a ser dimensionado em um padrão três vezes maior do que o dimencionado para filho de não-alcoolistas (Cormillot, 1992).


O que o álcool pode causar na vida das pessoas?

Cérebro – o álcool afeta o Sistema Nervoso Central e pode causar perda de reflexo, problemas de atenção, perda de memória, sonolência e coma, que pode levar à morte. Coração – o álcool libera adrenalina, que acelera a atividade do sangue no coração, aumentando a frequência dos batimentos cardíacos.


Quando a bebida estraga o casamento?

Alcoolismo pode diminuir a satisfação conjugal “Há muitos sentimentos envolvidos quando o alcoolismo se instala em um dos membros do casal. Quem convive com um alcoolista pode experimentar uma série de sentimentos, como raiva, vergonha, frustração e, muitas vezes, pode sofrer em silêncio.


Como o álcool destruiu minha família?

Álcool destrói família É um grande condutor para a violência doméstica, separação de casais, conflitos interpessoais negligencia infantil, além de dificuldades financeiras e legais. A pessoa que tem problemas com álcool e família, acaba não se reconhecendo como dependente e nem doente.


Quando a pessoa bebe e se transforma?

Isso porque todo mundo acredita possuir um alter-ego embriagado, pronto para vir à tona toda vez que for além da conta com a bebedeira. No entanto, essa mudança de personalidade parece ser mais psicológica do que real. Aos olhos dos outros, pelo menos, você não muda o quanto acredita ter mudado só porque está bêbado.


Quando o homem bebe ele fala a verdade?

Um estudo publicado pela London School of Hygiene and Tropical Medicine deu base para a verdade universal que é só a bebida entrar, que a verdade sai. A pesquisa provou que que o álcool não muda os pensamentos de uma pessoa, mas sim a torna mais despreocupada com o que está falando.


Como funciona a mente de uma pessoa alcoólatra?

O excesso de álcool no cérebro leva a efeitos psíquicos como redução da concentração, da atenção, da memória recente e da capacidade de julgamento. E é por isso que depois da farra você pode até se esforçar, mas muitas vezes não se lembra da noite anterior.


Qual é o tempo de vida de um alcoólatra?

Mas afinal, qual a expectativa de vida de um alcoólatra? Bem, segundo estudos, um alcoólatra pode viver 20 anos a menos do que a população que não apresenta dependência química nessa substância. Além disso, a qualidade de vida durante os anos vividos também tende a diminuir.


Por que a gente fica bêbado?

Depois de passar pelo intestino e alcançar o sangue, o etanol presente na bebida ativa a produção de substâncias que amplificam a ação dos neurotransmissores (moléculas que controlam o fluxo de informações entre os neurônios) responsáveis pelo prazer. “Em pequenas doses, a substância tem um efeito estimulante.


Qual a bebida alcoólica que faz mal?

Vinho tinto O vinho tinto é um dos piores culpados, pois também é um liberador de histamina, que novamente promove vermelhidão”, advertiu o profissional. “Isso o torna a pior bebida, principalmente se você tem tendência a ficar com vermelhidão ou vive com rosácea”, finalizou.


Quando a pessoa bebe e se transforma?

Isso porque todo mundo acredita possuir um alter-ego embriagado, pronto para vir à tona toda vez que for além da conta com a bebedeira. No entanto, essa mudança de personalidade parece ser mais psicológica do que real. Aos olhos dos outros, pelo menos, você não muda o quanto acredita ter mudado só porque está bêbado.


Como lidar com a bebida no casamento?

Facilitando a fase de recuperação. Evite tomar álcool a qualquer custo quando estiver perto do seu marido. Se fizer isso, vai ser muito mais difícil para ele cortar o vício. Quando estiverem em eventos sociais, opte por bebidas comuns; quando reunir a família e os amigos, dê um toque em todos.


Como se separar de uma pessoa alcoólatra?

Seja paciente, pois a negação é muito comum entre os alcoólatras. Seu marido pode dizer que irá buscar ajuda ou que irá parar de beber e não ser mais agressivo somente naquele momento, para evitar conversas desconfortáveis. No entanto, não desista fácil. Mas também não insista para sempre.


O que eu faço para o meu marido parar de beber?

Como fazer meu marido parar de beber: 4 dicas úteis1 – Não tenha bebidas alcoólicas dentro de casa.2 – Não seja agressiva.3 – Deixe claro seu posicionamento sobre ele beber.4 – Procure ajuda profissional.


Resumo

O objetivo do estudo foi apreender aspectos da vivência e do contexto familiar da pessoa consumidora de bebida alcoólica que não está em tratamento. Estudo descritivo exploratório, com abordagem qualitativa desenvolvido no Noroeste do Paraná. Foram entrevistados 11 sujeitos: seis usuários de álcool e cinco familiares.


Abstract

The study aims understanding experience’s aspects and the family context of the alcohol consumer who is not under treatment. Descriptive study with a qualitative approach developed in the Northwest of Paraná. 11 individuals were interviewed, six alcohol users and five family members.


Resumen

El objetivo del estudio era comprender los aspectos de la experiencia y el contexto de la familia de la persona que consume el alcohol que no es en el tratamiento. Estudio descriptivo con abordaje cualitativo desarrollado en el noroeste de Paraná. Entrevistamos a 11 sujetos, seis usuarios de alcohol y cinco miembros de la familia.


Metodologia

Trata-se de um estudo descritivo exploratório com abordagem qualitativa, desenvolvido em uma cidade do Noroeste do Paraná, realizado junto a usuários de álcool e familiares.


Resultados e discussão

Os 117 indivíduos que responderam o AUDIT tinham em média 48 anos, renda de cinco salários mínimos e dois filhos. Destes, 14 (12%) foram classificados com baixo risco de consumo abusivo, 49 (42%) com consumo de risco, 23 (20%) com consumo abusivo e 31 (26%) com sintomas da SDA.


Considerações finais

Este estudo coloca em evidência as consequências do abuso de bebida alcoólica, que vão para além do financeiro, afetando os domínios sociais, psicológicos e fisiológicos e ten-do impacto negativo no grupo familiar.


Histórico

Este é um artigo publicado em acesso aberto (Open Access) sob a licença Creative Commons Attribution Non-Commercial, que permite uso, distribuição e reprodução em qualquer meio, sem restrições desde que sem fins comerciais e que o trabalho original seja corretamente citado.

image

Leave a Comment