A bis avisa quando acaba o gasolina

image

Qual o prazo de validade da gasolina?

A gasolina comum tem prazo de validade: dura 3 meses e depois vai perdendo a função de queimar corretamente. Por isso, para quem fica muito tempo longe do carro, é recomendado abastecer o tanque e (se houver) o reservatório de partida a frio com gasolina de alta octanagem.

Como saber o consumo de gasolina no carro?

Essa informação consta no manual do carro. Assim, quando a luz de advertência se acender no painel (com o desenho de uma bomba de combustível), é possível saber a quantidade aproximada de gasolina ou etanol restante. Levando-se em conta o consumo do veículo, é possível estabelecer quanto ainda dá para rodar.

Quanto tempo dura o teste de combustível?

E peça o teste de combustível sempre que quiser: os postos são obrigados a fazê-lo e devem manter os equipamentos de medição e certificação em dia. A gasolina comum tem prazo de validade: dura 3 meses e depois vai perdendo a função de queimar corretamente.

O que acontece quando a bomba de combustível está seca?

Evite ficar na reserva. “A pane seca acontece quando a bomba de combustível deixa de ser refrigerada, ou seja, o tanque não tem líquido suficiente para manter a temperatura da bomba. Aos poucos ela vai superaquecendo e impedindo o funcionamento do veículo”, explica Feliciano.

image


O fim dos Diesel vai generalizar-se?

Não. Nas grandes cidades que implementem medidas de restrição de circulação aos automóveis equipados de motores de combustão os automóveis Diesel perderão competitividade.


Faço um mau negócio ao comprar um carro a gasóleo?

Atualmente, a compra de um veículo a gasóleo pode ainda fazer sentido, tal como faz sentido a aquisição de um automóvel a gasolina ou de um híbrido ou de um elétrico. Tudo depende do tipo de utilização dado ao carro e da necessidade que aquele meio de transporte pretende suprir. Cada caso é um caso. Para condutores que façam muitos quilómetros anualmente, o Diesel é seguramente a considerar.


Os Diesel vão deixar de poder ser comprados?

A indústria automóvel está apostada na redução de emissões dos veículos. E o lançamento de modelos elétricos faz parte dessa estratégia, com 40% dos novos modelos que se preveem que sejam lançados até 2021, a terem já uma qualquer opção de motorização parcial ou integral elétrica. Ou seja, haverá cada vez mais veículos novos elétricos e híbridos (Plug-in ou não) disponíveis nos stands.


O meu Diesel não vai valer nada daqui a uns anos?

Os carros a gasóleo irão continuar a ter o seu mercado e a serem transacionados. O que previsivelmente sucederá é que junto de clientes que necessitem do veículo para entrar nos núcleos urbanos, em cujas artérias, entretanto, a circulação automóvel tenha sido vedada, o interesse (logo, o valor comercial) por um Diesel diminui. Será factual.


Haverá um fim repentino?

O abandono do Diesel não será repentino. Mais: há construtores (caso da Mercedes-Benz) que estão atualmente a apostar em viaturas híbridas que combinam motores a gasóleo com motores elétricos.


Devo estar assustado?

Não. Deve é estar informado e ter consciência de que por questões ambientais, o que os decisores políticos pretendem é que a mobilidade seja mais eficiente. E nesse espírito, os carros a gasóleo serão a médio prazo impedidos de entrar em certas áreas nas grandes cidades europeias. Dir-se-ia que daqui a duas décadas mais facilmente alguém comprará um elétrico (pela autonomia que entretanto ganhou, pela facilidade de carregamento que passou a estar a si associada e pelo preço que custará) ou um híbrido do que um Diesel. O que o ministro do Ambiente fez foi passar esse alerta, ainda que o efeito tenha sido, em muita gente, o de alarme.


Pastilhas de travão

O sinal de ponto de exclamação dentro de um círculo, ou, em algumas marcas, um ruído típico metálico ou de palheta a roçar no metal significará, quase de certeza, que os travões precisam de atenção.


Turbo

Não existe luz que indique problemas no turbo. Terá que estar atento a eventuais sinais: resposta do motor significativamente inferior ao normal; o clássico silvo do turbo transformado num ruído metálico estranho ao acelerar/desacelerar; nuvem de fumo claro quando acelera.


Injetores

Se o ralenti do seu carro ficar instável, sentir soluções na aceleração, ou, o mais fácil de perceber, se se acender a luz com a forma de motor no painel de instrumento, o problema passa ou está num dos componentes que envia combustível para o motor.


Ar condicionado

Liga o ar condicionado num dia de calor, mas sai ar quente das condutas. Ou o circuito do ar condicionado tem uma fuga ou não tem gás no compressor. Assim que perceba este sintoma, trate de levar o carro a uma oficina. Se não o puder fazer de imediato, não volte a ligar o ar condicionado enquanto não resolver o problema.


Correia da distribuição

A correia da distribuição é outro componente que em caso de quebra pode provocar uma despesa muito avultada. Faça a sua substituição no tempo preconizado pelo construtor ou então esteja atento a alguns sintomas.


Lubrificação

Confirma que o nível do óleo do motor do carro baixou, ou porque viu o nível ou porque a luz do painel de instrumentos se acendeu. Não dê à chave antes de confirmar a causa.


Liquido refrigeração

Este é um sinal que justifica muita preocupação. Quando acende o testemunho da temperatura do motor ou quando o ponteiro da temperatura sobe mais que o normal, os riscos de avaria são elevados.


Pane seca! O que fazer?

Acredite, a pane seca não é um problema tão simples de ser resolvido, pois muitas vezes a bomba de combustível pode ser danificada e pode haver despesas para seu conserto, que resultaria em valores maiores do que simplesmente reabastecer seu veículo.


Reabasteceu? Fique atento ao painel!

O nível da reserva pode variar entre 5 e 10 litros, dependendo do modelo do veículo. Esse combustível é aquele representado por uma luz vermelha no finalzinho do marcador. A partir de agora, evite rodar com o carro nessas condições. “Existe um sistema dentro do tanque que alerta o motorista sobre quantidade de combustível presente no veículo.


Fuja de combustíveis “batizados”

É complicado sacar na hora se o combustível é irregular, mas você pode adotar algumas práticas para se proteger. A primeira delas é pedir nota fiscal — o documento que comprova sua compra que o posto é obrigado a fornecer. Desconfie de promoções ou preços iguais para aditivados.


Não deixe o seu veículo inativo por longos períodos

A gasolina comum tem prazo de validade: dura 3 meses e depois vai perdendo a função de queimar corretamente. Por isso, para quem fica muito tempo longe do carro, é recomendado abastecer o tanque e (se houver) o reservatório de partida a frio com gasolina de alta octanagem.

image

Leave a Comment