A estrutura de açao em educaçao especial

Qual o objetivo da Educação Especial?

Assim, quando uma instituição de ensino busca promover efetivamente a integração, ela oportuniza o desenvolvimento de habilidades e competências a todos. Em seguida, são vistos os aspectos mais específicos, que apresentam outros benefícios proporcionados pela educação especial.

Quais são os avanços da educação especial no Brasil?

Os avanços da Educação Especial no país se fortaleceram a partir da aprovação da Constituição Federal de 1988, que tem como principal fundamento o direito à cidadania e à dignidade da pessoa humana.

Quais são os princípios da Educação Especial?

De acordo com o artigo 4º da Resolução CNE/CEB Nº 2, de 11 de setembro de 2001, a educação especial considera as situações singulares, os perfis dos estudantes, as características biopsicossociais dos alunos e suas faixas etárias e se pauta em princípios éticos, políticos e estéticos de modo a assegurar:

Quais são as fases da educação especial no Brasil?

Para Mazzota (2005), a Educação Especial no Brasil é dividida em duas fases, uma compreendida de 1854 a 1956, e a outra de 1957 a 1993.


Como é organizada a estrutura de ação em Educação Especial?

A Estrutura de Ação baseia-se fortemente na experiência dos países participantes e também nas resoluções, recomendações e publicações do sistema das Nações Unidas e outras organizações inter-governamentais, especialmente o documento “Procedimentos-Padrões na Equalização de Oportunidades para pessoas Portadoras de …


Qual o princípio que estrutura a ação em Educação Especial na Declaração de Salamanca?

Uma das implicações educacionais orientadas a partir da Declaração de Salamanca refere-se à inclusão na educação. Segundo o documento, “o princípio fundamental da escola inclusiva é o de que todas as crianças deveriam aprender juntas, independentemente de quaisquer dificuldades ou diferenças que possam ter.


Quais são as fases da Educação Especial?

Assim, a Educação Especial no Brasil é marcada por diversas fases segundo afirma Sassaki (1997), sendo elas: exclusão, segregação institucional, integração e inclusão. Diante disso, abordaremos a seguir o percurso histórico da pessoa com deficiência de acordo com cada fase.


Como é a organização da Educação Especial?

a educação especial se organizou tradicionalmente como AEE substitutivo ao ensino comum, evidenciando diferentes compreensões, terminologias e modalidades que levaram à criação de instituições especializadas, escolas especiais e classes especiais (BRASIL, 2008a, p. 11).


O que diz a Declaração de Salamanca sobre a Educação Especial?

A Declaração de Salamanca (1994) traz a educação inclusiva como a possibilidade de “reforçar” a ideia de “educação para todos”, como se, até então, alunos com deficiência e/ou com outras necessidades educacionais especiais não frequentassem a escola.


Quais são os princípios da educação inclusiva?

O grande princípio da educação inclusiva é promover a igualdade de oportunidades e a valorização das diferenças humanas em todos os aspectos, seja pelas diversidades étnicas, culturais, sociais, intelectuais, físicas, sensoriais e de gênero.


O que é fase de inclusão?

A fase da inclusão é orientada, portanto, pelo paradigma dos direitos humanos, alterando o papel da pessoa com deficiência, de sujeito que carece de assistência ou tratamento para um sujeito titular de direitos.


O que é inclusão exclusão segregação e integração?

A Diferença entre EXCLUSÃO, SEGREGAÇÃO, INTEGRAÇÃO e INCLUSÃO. EXCLUSÃO ▶ Se trata de deixar de lado, fingir que algo não existe. SEGREGAÇÃO ▶ Significa “separar ” as pessoas num só lugar e por último . INTEGRAÇÃO ▶ As pessoas com deficiência têm de se adequar à sociedade dominante, às suas regras.


O que é fase de segregação?

No nível de segregação as pessoas são distanciadas da sociedade e da família, geralmente atendidas em instituições específicas por motivos religiosos ou filantrópicos, e têm pouco ou nenhum controle sobre a qualidade da atenção recebida.


Quais são os serviços da educação especial?

A Educação Especial tem como serviço a parceria com Organizações da Sociedade Civil nas modalidades: Centro de Atendimento Educacional Especializado – CAEE; Escola de Educação Especial – EEE; Atividade de Enriquecimento Curricular – AEC e Iniciação ao Mundo do Trabalho – IMT, em caráter complementar ou suplementar.


O que é educação especial?

De acordo com o art. 58 da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, a Educação Especial é a modalidade de educação voltada aos “educandos com deficiência, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades ou superdotação”.


O que é educação Inclusiva?

Já a Educação Inclusiva visa maior integração entre as crianças a partir da difusão do ensino coletivo. Dessa forma, o ambiente escolar promove o convívio entre os alunos com necessidades especiais ou não, favorecendo a aproximação entre as crianças.


Qualificação para professores em educação inclusiva

O curso de Educação Inclusiva é uma oportunidade para professores que desejam trabalhar com a educação especial inclusiva. Disponível na modalidade de pós-graduação, o curso especializa os profissionais da área educacional para sobre as estratégias, técnicas e metodologias para atuação com deficiências físicas e cognitivas.


1 Introdução

No Brasil, as políticas para a inclusão de pessoas com deficiência aconteceram tardiamente. Não se pode concebê-las como uma atitude de benevolência do Estado para com as pessoas deficientes, na verdade, no mundo capitalista existem fortes razões para incluir essas pessoas.


2 Educação Especial: percurso histórico

Por educação inclusiva se entende o processo de inclusão de pessoas com deficiência, “seja mental, auditiva, visual, motora, física múltipla ou decorrente de distúrbios evasivos do desenvolvimento” (ROGALSKI, 2010, p.


3 Atendimento Educacional Especializado

De acordo com a LDB nº 9.394/1996, a Educação Especial “é uma modalidade de ensino transversal a todas as etapas e outras modalidades, como parte integrante da educação regular, devendo ser prevista no projeto político pedagógico da unidade escola” (BRASIL, 2001, p. 42).


4 Conclusão

No contexto das considerações finais desta pesquisa, considera-se pertinente o fortalecimento da ideia de que a Educação Inclusiva merece destaque nas discussões acerca das políticas públicas educacionais brasileiras e sugere mudanças nas práticas pedagógicas, nos currículos escolares e, ainda, nos planejamentos dos educadores.


Educação Especial e a Inclusão Escolar

A Declaração de Salamanca ressalta, que a escola inclusiva deve propiciar um ambiente favorável para que os alunos possam aprender juntos, independentemente de suas diferenças e dificuldades. Dizendo que:


Educação Especial e a Inclusão Escolar

Se gostou da postagem, não deixe de compartilhar com seus amigos nas redes sociais e também deixe um comentário aqui em nosso site com sua opinião e sugestões para outras postagens.

Leave a Comment