A relação que se estabelece entre açao e seu efeito


O que propicia a aprendizagem dos comportamentos e a ação do organismo?

Neste caso, do condicionamento operante, o que propicia a aprendizagem dos comportamentos é a ação do organismo sobre o meio e o efeito resultante, no sentido de satisfazer-lhe alguma necessidade, ou melhor dizendo, a relação que se estabelece entre uma ação e seu efeito.


Qual o papel do reforço no condicionamento operante?

Neste sentido, Skinner identificou dois aspectos-chave do processo de condicionamento operante: o reforço e a punição. O reforço serve para aumentar o comportamento, enquanto a punição serve para diminui-lo.


Quais são os princípios do condicionamento operante?

O condicionamento operante se baseia em uma premissa bastante simples – ações que são seguidas por reforço serão reforçadas e tem mais probabilidade de ocorrer novamente no futuro.


Em que consiste o reforço diferencial?

Reforço diferencial de outros comportamentos (DRO) é o esquema de reforçamento que consiste na liberação do reforço após um determinado intervalo de tempo no qual o comportamento inadequado não é emitido, podendo-se reforçar a ocorrência de qualquer outro comportamento que não aquele que se pretende reduzir.


Objetivo

Reduzir as emissões de gases de efeito estufa, como o dióxido de carbono, é o principal objetivo do Acordo de Paris. O uso intenso de combustíveis fósseis como matriz energética no mundo intensifica a liberação de dióxido de carbono e outros gases nocivos à atmosfera.


Metas para países desenvolvidos e subdesenvolvidos

Uma das metas do Acordo de Paris é estimular os países desenvolvidos a dar suporte financeiro e tecnológico aos países subdesenvolvidos. A ideia é que essa ajuda colabore na ampliação de ações propostas pelos países subdesenvolvidos, mas todos devem apresentar planos de ação.


Contexto histórico do Acordo de Paris

As alterações provocadas no meio ambiente pela ação humana preocupam o mundo inteiro. A emissão de gases nocivos à atmosfera tem provocado o agravamento do efeito estufa e do aquecimento global. Essa emissão ocorre em razão da intensa queima de combustíveis fósseis para o uso industrial, transporte urbano e geração de energia elétrica.


Países que não aderiram ao Acordo de Paris

Por causa da dramática guerra civil em que está envolvida, a Síria não faz parte do acordo. A Nicarágua, por sua vez, alegou que o acordo era ambicioso demais e que seria ineficaz, visto que os países apresentariam seus compromissos voluntariamente, acabando por boicotá-lo.


Saída e retorno dos Estados Unidos

Em 2017, Donald Trump, presidente dos Estados Unidos na ocasião, assustou o mundo com a decisão de sair do acordo. Trump era considerado cético em relação às alterações climáticas. Na época, o presidente Jair Bolsonaro, aliado de Trump, chegou a afirmar que o Brasil também poderia sair do acordo, mas isso não ocorreu.


Participação do Brasil no Acordo de Paris

O Brasil assinou o Acordo de Paris em 2015, comprometendo-se a reduzir até 2025 suas emissões de gases de efeito estufa em até 37% (comparados aos níveis emitidos em 2005), estendendo essa meta para 43% até 2030. As principais metas do governo brasileiro são:

Leave a Comment