Com se da a açao dos agentes agresores no orgamismo

Quem são os agentes agressores?

Quem são os agentes agressores? Natureza: agentes físicos, químicos e biológicos. Origem: Extrínsecos e Intrínsecos. Agentes físicos Traumas mecânicos Radiações Choques elétricos Variações extremas de temperatura e pressão atmosférica Agentes químicos Exógenos: Inorgânicos: ácidos, bases e metais pesados. Orgânicos: toxinas Endógenos: hormônios.

Como um agente tóxico pode produzir danos aos organismos?

Para que um agente tóxico seja capaz de produzir danos aos organismos, são necessários vários fatores agindo em conjunto, ou seja, é necessário que haja uma interação entre eles. Um dos fatores mais importante está relacionado ao tempo de duração da exposição dos organismos ao agente tóxico.

Como evitar a libertação de agentes biológicos?

Estabelecer procedimentos de trabalho adequados e utilizar medidas técnicas apropriadas para evitar ou minimizar a libertação de agentes biológicos. Exemplo: minimizar a formação de bioaerossóis utilizando cabines de segurança biológica ou extração localizada. Reduzir ao mínimo possível o número de trabalhadores expostos.

Quais são os agentes químicos?

Agentes físicos Traumas mecânicos Radiações Choques elétricos Variações extremas de temperatura e pressão atmosférica Agentes químicos Exógenos: Inorgânicos: ácidos, bases e metais pesados. Orgânicos: toxinas Endógenos: hormônios. Agentes Infecciosos: Acelulares: príons, vírus.


RESUMO

O artigo analisa a interferência dos agentes estressores no trabalho a que se submetem os trabalhadores brasileiros, elementos que podem causar sofrimento no contexto laboral.


INTRODUÇÃO

Os modos de produção evoluíram e as empresas modernas desenvolveram diferentes sistemas de produção, com sérios embates entre patrões e empregados, atingindo altos níveis de estresse, afastamento e até adoecimento no trabalho (CARVALHO, 2015).


2. PSICODINÂMICA DO TRABALHO

Uma das controvérsias entre a sociologia, a economia, a psicologia, a ergonomia, as ciências das engenharias, incide sobre as diferentes óticas que cada uma delas apresenta em relação ao conceito de trabalho (BOHLE & MILKAU, 1998).


2.1 ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO

As teorias administrativas que fundamentam uma organização definem as diretrizes que nortearam as relações interpessoais no ambiente de trabalho, bem como o clima organizacional, sendo, portanto, imprescindível abordá-las.


2.3 PARADIGMA DO SOFRIMENTO NO TRABALHO

O trabalho implica sofrimento afetivo e absolutamente passivo, marcando uma ruptura de ações, sendo o sofrimento um ponto de partida. Dentro de certa experiência se concentra a subjetividade que se origina da condensação da subjetividade sobre ela mesma, até atingir um ponto de dilatação, de expansão que a sucede (DEJOURS, 2001).


3. AGENTES ESTRESSORES E CONSIDERAÇÕES PSICOSSOMÁTICAS

Limongi-França e Rodrigues (2005) conceitua estresse ocupacional como sendo os acontecimentos que ocorrem no ambiente de trabalho, que ameaçam a saúde física e mental dos trabalhadores, sem que estes possam valer de recursos adequados para aliviar as situações.


3.1 ESTRESSE NAS RELAÇÕES INTERPESSOAIS

Nas organizações, as relações interpessoais horizontais (mesmo nível hierárquico) ou verticais (entre a base e superiores) são, em geral, conflitivas gerando constrangimentos, insatisfação, reclamações e grande estresse.

Leave a Comment