Como proceder com uma açao de despejo

image

Full
Answer

Quando pode ser executada a ação de despejo?

Por se tratar de uma medida mais enérgica, a ação de despejo é limitada a alguns casos específicos — especialmente de descumprimento de contrato. Dentre as possibilidades mais corriqueiras, podemos adiantar que a ação pode ser executada quando acontecer:

Por que a ação de despejo é importante?

Como você pôde ver, a ação de despejo é uma medida tomada a fim de proteger o locador em alguns casos específicos e a nova lei veio para conferir maior segurança aos proprietários. Conhecendo direitos e deveres do inquilino e como dar andamento ao processo, o corretor se torna muito mais preparado para auxiliar seus clientes.

Quanto tempo dura uma ação de despejo?

Já as ações de despejo duraram, em média, 216 dias. Só nesse ano, foram emitidos 1931 títulos de despejo. Contudo, a par desta celeridade, há também um elevado número de pedidos recusados. Entre janeiro de 2013 e novembro de 2017, o BNA recebeu 20.806 requerimentos, dos quais 8304 foram recusados.

Como se defender de uma ação de despejo por falta de pagamento?

Para contestar a ação de despejo, o inquilino deve apresentar uma defesa que pode consistir, entre outras alegações, em: contestação quanto ao mérito do pedido. O que é ação de despejo por falta de pagamento?

image


O que fazer quando recebemos uma ordem de despejo?

O que fazer? Caso você tenha recebido uma ordem de despejo o ideal é sempre procurar por um advogado ou defensoria pública. Na mesma ocasião, tente arrecadar o dinheiro correspondente aos aluguéis atrasados. Por fim, se você não tiver condições financeiras, tente um acordo com o locador (credor) do imóvel.


Quanto tempo demora para mover uma ação de despejo?

30 diasGeralmente, quando a decisão é favorável ao proprietário, o inquilino recebe um prazo de até 30 dias para fazer a desocupação. No entanto, em ações ajuizadas por motivo de quebra contratual ou de término da vigência do contrato, é possível pedir liminar.


Quanto custa um processo de despejo?

O valor de uma ação de despejo pode variar de acordo com alguns fatores como a forma contratual, valor do aluguel, dívida e o tempo de locação. Entenda! Uma ação de despejo pode custar entre R$ 5.000,00 e R$ 40.000,00, levando em consideração os fatores e formato contratual.


Quando o inquilino não pode ser despejado?

A decisão limita-se àqueles considerados de baixa renda, com valor de aluguel de até R$ 600. Para não sofrer o despejo, o morador ainda terá que comprovar perda de renda a partir de 2020 e incapacidade de pagamento em prejuízo à subsistência familiar.


Como funciona o despejo forçado?

Precisa-se entrar com uma ação na justiça, o juiz vai enviar uma citação ao locatário. Ele será intimado quanto ao pagamento da dívida e caso não o faça o próprio juiz, a pedido do locador dá a ordem de despejo.


Quem paga as custas de um processo de despejo?

A ação deve ser feita por um advogado e o locador deverá pagar os honorários do advogado, as custas processuais e se desejar despejar o inquilino imediatamente, em 15 dias, deverá fazer um depósito caução no valor de 3 meses de aluguel.


Quanto custa um advogado para despejo?

Os honorários advocatícios em ações de despejo podem tanto ser cobrados por um valor fixo como num porcentual da dívida a ser paga pelo inquilino. Em geral, os honorários são fixados em 20% do valor da dívida a ser cobrada.


Quem paga as custas do processo de ação de despejo?

Tem as custas durante o processo em que a cada ato que o juiz solicitar você tem que depositar os valores das custas e esta é paga pelo parte que perder o processo.


Pode chamar a polícia se o inquilino não quiser sair do imóvel?

Tampouco é legítimo forçar o inquilino a sair do imóvel – neste caso, ele tem o direito de acionar a polícia para permanecer no local. A solicitação de saída deve ser formalizada por meio do “pedido de desocupação de imóvel alugado”. Trata-se de um documento com a finalidade de notificação.


Quando o proprietário pode pedir o imóvel para o inquilino?

Por via de regra, na Lei do Inquilinato, o dono só pode pedir a moradia após o final do contrato de aluguel. Isso considerando que ele seja de prazo determinado. Geralmente, os contratos de aluguel, são de prazo determinado. Ou seja, o tempo de duração do aluguel é o que está escrito no contrato.


Como tirar um inquilino que incomoda?

Com as provas em mãos deve-se entrar com uma ação contra a pessoa que está perturbando a paz. Esta ação solicitará não somente o fim do barulho como também uma indenização; IV. Caso você seja um locador e o seu inquilino seja o causador poderá você solicitar a rescisão contratual do contrato de locação por justa causa.


Primeiro, o que é uma ação de despejo?

O dicionário Houaiss traz como uma das definições para o verbo “despejar” o ato de desvencilhar-se, livrar-se de impedimentos. Na relação entre locador (proprietário do imóvel) e locatário (pessoa que aluga um imóvel), uma ação de despejo acontece quando o locador quer remover o locatário do imóvel.


Então como evitar uma ação de despejo?

Se você está com dificuldades para manter o pagamento do aluguel, há uma série de boas práticas que podem te ajudar a evitar uma ação judicial e reduzir os problemas que ela pode causar:


Quem pode recorrer à Defensoria Pública?

Quem está em uma situação de vulnerabilidade habitacional e é hipossuficiente (ou seja, não tem recursos para arcar com os seus gastos) pode procurar a Defensoria Pública do seu estado.


Meu aluguel é informal. Posso sofrer uma ação de despejo?

Sim, mesmo se você aluga uma casa ou apartamento a partir de um combinado verbal, existe o risco de ser obrigado a desocupar o imóvel. Por isso, é importante registrar e formalizar todos os pagamentos e acordos que você faz com a pessoa dona do imóvel.


O que é uma ação de despejo?

Antes de falar o que é uma ação de despejo, é importante citar a Lei de Locação de Imóveis, também conhecida como Lei de Inquilinato — lei nº 8.245, de 18 de outubro de 1991, com algumas atualizações em 2009, pela lei 12.112/09 — que dá amparo legal para os contratos de locação em perímetro urbano em todo o Brasil.


Como funciona uma ação de despejo?

Para a ação de despejo acontecer, é preciso que todas as outras formas de resolver as questões em aberto tenham falhado, ou seja, não é um processo tão simples.


Quais os motivos que levam a uma ação de despejo?

Um dos motivos mais comuns para levar o proprietário a solicitar uma ação é a falta de pagamento do aluguel por parte do inquilino, mas além desta razão, a Lei do Inquilinato prevê outros motivos que podem fazer com que o despejo ocorra.


Quanto tempo demora uma ação de despejo por falta de pagamento?

De acordo com advogados especialistas, geralmente, uma ação de despejo por falta de pagamento demora de 6 a 12 meses para ocorrer, sendo mais comum levar um ano.


Quantos meses de aluguel atrasado para ordem de despejo?

Não há um prazo mínimo para que a ordem de despejo por falta de pagamento de aluguel possa ser solicitada. O proprietário pode fazer o pedido até mesmo um dia após o atraso de um pagamento.


Quem paga pela ação de despejo?

Quem paga pela ação de despejo é o proprietário, afinal, ele precisa buscar a orientação de um advogado especialista, que irá cobrar pelo seu trabalho.


Quanto custa para entrar com uma ação de despejo?

Essa é uma resposta bastante relativa, já que depende de cada situação específica, afinal, é o advogado que define seus honorários. Geralmente, o valor a ser pago é de cerca de 20% do valor da dívida do inquilino, mas também pode ser feito tomando como base o valor da anuidade.


Primeiro de tudo, o que é despejo?

O despejo é uma ação que pode ser realizada pelo dono de um imóvel alugado, esta ação normalmente é realizada quando é necessário desocupar o imóvel e retomar sua posse.


Quanto tempo demora uma ação de despejo?

O tempo para executar uma ação de despejo vai depender da motivação. O tempo pode variar de 6 até 12 meses, mas caso a situação se enquadre em caráter de urgência, como dito anteriormente, pode ser resolvida em até 15 dias.


Quanto custa uma ação de despejo?

Uma coisa que você deve saber é que realizar uma ação de despejo é caro! Você terá de gastar uma quantia de dinheiro durante o processo com os advogados que normalmente cobram 20% do valor da causa.


Como dar entrada na justiça?

Primeiro, gostaríamos de lembrar que acionar a justiça deve ser o último passo para resolver esse tipo de conflito de interesses. A dica é, antes de qualquer coisa, procurar o inquilino, conversar abertamente com ele e tentar achar uma solução amistosa.


Como o locatário pode evitar uma ação de despejo?

Nem tudo são deveres na vida do locatário, e a Lei do Inquilinato também prevê direitos a quem está alugando o imóvel. Para ter acesso a eles, é importante ter tudo documentado, ter atenção ao contrato na hora da assinatura e levar a sérios as cláusulas estabelecidas ali.


Como funciona a ação de despejo?

A ação de despejo é movida pelo proprietário , com o objetivo de desocupar e reaver o imóvel, obrigando o inquilino a se mudar. O processo é previsto pela Lei do Inquilinato e pode acontecer em situações específicas, seguindo os procedimentos previstos na legislação.


Quais os prazos para a ação?

Essa ação é processada na Vara Cível ou no Juizado Especial Cível da comarca onde está localizado o imóvel e deve seguir todos os procedimentos de uma ação judicial comum, conforme o Código de Processo Civil e a Lei do Inquilinato.


O que é e como acontece a ação de despejo?

O despejo é uma ação específica realizada pelo proprietário de um imóvel que está alugado. O objetivo principal desse tipo de ação é viabilizar a desocupação do bem em questão, retomando a posse total para o dono.


Quando ela pode ser executada?

Por se tratar de uma medida mais enérgica, a ação de despejo é limitada a alguns casos específicos — especialmente de descumprimento de contrato. Dentre as possibilidades mais corriqueiras, podemos adiantar que a ação pode ser executada quando acontecer:


Quais são os direitos e deveres do inquilino?

Outra dúvida muito comum entre corretores diz respeito aos direitos e deveres do inquilino nesse contexto. Começando pelos deveres, que são mais simples: o inquilino é obrigado a cumprir todas as obrigações do contrato celebrado com o locador — valor do aluguel e outras despesas, prazo de pagamento e cuidado com o imóvel.


Como executar a ação de despejo?

Observados os direitos e deveres do inquilino, se o despejo é efetivamente a atitude a ser tomada, o primeiro passo consiste em conversar com ele. Sempre vale a pena tentar resolver os problemas com o diálogo, extrajudicialmente.


Como funciona uma ordem de despejo?

A ordem de despejo ou ação de despejo, ocorre quando o proprietário deseja retirar o atual morador de um imóvel. Isto acontece para que este imóvel possa ser ocupado novamente. Existem uma série de fatores e medidas, principalmente legais, para que essa ação possa ser tomada.


Quando acionar uma ordem de despejo?

Isso se dá quando o locatário ou o locador passam por cima de alguma regra acordada durante o fechamento do negócio. É nesta situação que podemos perceber a importância do contrato.


Como entrar com uma ordem de despejo?

Lembre-se que, antes de tudo, é sempre bom tentar resolver os problemas no diálogo. Se você trabalha em uma imobiliária ou está em contato direto com proprietários e locatários, incentive essa política amigável.


Estude o mercado e aja de acordo

Percebeu como é prático? Você que é corretor de imóveis e está inserido neste meio, deve zelar e buscar encontrar as soluções da forma mais amigável possível. Ainda assim, se houver a necessidade de entrar com uma ação judicial de despejo, esteja ciente de todos os detalhes.


Despejo: requerimento, oposição e execução

De uma forma simples e genérica, pode dizer-se que a ação de despejo consiste numa medida processual em que o proprietário de um imóvel requer a retirada do inquilino devido, por exemplo, à falta de pagamento das respetivas rendas.


Balcão Nacional de Arrendamento (BNA)

Todos os anos, o despejo origina milhares de processos pelo que, em 2013, o Governo criou o Balcão Nacional de Arrendamento – organismo dependente da Direção-geral da Administração da Justiça (DGAJ) e que abrange todo o território nacional – o qual, desde então, é responsável pela gestão destes mesmos processos, de forma a libertar os tribunais dos mesmos.


SOS Despejo

Se há situações de despejo onde o procedimento legal, descrito anteriormente, é seguido, existem também outras situações em que os senhorios não cumprem o que a lei estipula, pressionando ou forçando mesmo a saída dos inquilinos, numa atitude já designada como bullying ou mobbing imobiliário.

image

Leave a Comment