O q fez a morfina ter açao antitussigeno

image

Qual o modo de uso da morfina?

O modo de uso da morfina varia de acordo com o tipo de dor do paciente e, por isso, a dosagem deve ser sempre orientada pelo médico que receitou o medicamento.

Quais são as reações adversas da morfina?

Os maiores riscos do uso de morfina são a ocorrência de depressão respiratória e circulatória, com parada respiratória, choque e parada cardíaca. Outras reações adversas da morfina: ⇒ Efeitos colaterais da morfina no sistema nervoso central: euforia, desconforto, fraqueza, dor de cabeça, insônia, agitação, desorientação e distúrbios visuais.

Quais são os riscos da morfina?

Os maiores riscos com a morfina são depressão respiratória, depressão circulatória, parada respiratória, choque e parada cardíaca. Além disso, o uso de uma dose elevada deste medicamento pode causar sonolência e dificuldade respiratória, o que deve ser tratado na emergência com cuidados médicos intensivos e o antídoto específico, chamado Naloxona.

Quais os efeitos colaterais do sulfato de morfina?

– Médico Responde A morfina tem efeitos colaterais? Dra. Nicole Geovana Sim, o uso de morfina pode provocar alguns efeitos colaterais. Os mais comuns são: tontura, vertigem, sonolência, náuseas, vômitos e aumento da transpiração. Os efeitos colaterais do sulfato de morfina vão depender de cada pessoa e de acordo com a dosagem da medicação.

image


Quanto tempo dura o efeito da morfina no corpo?

A morfina tem meia-vida curta, com início do efeito em 30 minutos, pico de ação em aproximadamente 1h e duração média de efeito analgésico de 4 horas (3 a 5 horas).


Quais são os efeitos colaterais da morfina?

O mais sério efeito colateral associado à Morfina, bem como a outros analgésicos narcóticos, é a depressão respiratória e em menor grau a depressão circulatória. Além disso pode aparecer ainda:- fraqueza, cefaléia, insônia, palpitações, constipação, anorexia, boca seca, retenção urinária, prurido.


Qual o efeito da morfina no sistema nervoso?

A morfina liga-se aos receptores do tipo Mu opióides no sistema nervoso central (SNC), causando inibição das vias ascendentes da dor, alterando a percepção e a resposta à dor; produz depressão generalizada do SNC.


Porque a morfina causa coceira?

O mecanismo central do prurido induzido por opióides via intratecal ou peridural está provavelmente relacionado com a ascensão cefálica do opióide no LCR e subsequente interação com o corno dorsal medular e núcleo espinal do trigémeo onde estão presentes receptores opióides.


Qual a sensação de tomar morfina?

Sob a forma de droga, a morfina é consumida por via oral através de comprimidos, gerando no usuário a sensação de prazer, bem-estar e euforia.


Qual é o remédio mais forte para dor?

O AT-121 é mais poderoso do que a morfina no alívio da dor, não produz efeitos colaterais perigosos e – o que é importante – não é viciante.


Quais alterações físicas e emocionais a dependência da morfina pode causar?

Os maiores riscos com a morfina, assim como com os outros analgésicos opioides são, depressão respiratória e, em menor grau, depressão circulatória, parada respiratória, choque e parada cardíaca. As reações adversas mais frequentemente observadas incluem tontura, vertigem, sedação, náusea, vômito e transpiração.


Quais os benefícios da morfina?

Bem indicada com doses devidamente tituladas, a morfina é ótima no controle de dor e dispneia trazendo qualidade de vida para os pacientes. Morfina pode matar/ acelera a morte – mesmo raciocínio do mito anterior.


Como saber se tenho alergia a morfina?

As reações adversas mais frequentemente observadas incluem tontura, vertigem, sedação, náusea, vômito e transpiração. Estes efeitos parecem ser mais observados em pacientes ambulatoriais do que naqueles que não sofrem dor grave. Em tais pacientes, são aconselháveis doses mais baixas.


Como se livrar da morfina?

Para drogas como morfina a receita não é obtida facilmente. Se o uso é indicado, a morfina é administrada mas depois é necessário o chamado “desmame”. O médico inclui o fármaco no tratamento, o paciente vai pedir mais, mas o médico tem de administrar e ir tirando até sumir qualquer dependência.


Definição

A morfina é uma substância capaz de se ligar ao subtipo mu do receptor opióide. O receptor mu é tido clinicamente como o mais importante receptor opioide, por conta da sua ação analgésica principal, por meio da inibição das vias nociceptivas.


Mecanismos de ação

A morfina liga-se aos receptores do tipo Mu opióides no sistema nervoso central (SNC), causando inibição das vias ascendentes da dor, alterando a percepção e a resposta à dor; produz depressão generalizada do SNC.


Farmacocinética e farmacodinâmica da morfina

Após administração oral, o pico de concentração plasmática é atingido em aproximadamente 60 minutos. A alimentação não altera a biodisponibilidade da morfina. Distribui-se ao músculo esquelético, fígado, rins, pulmões, trato intestinal, baço e cérebro.


Indicações e doses terapêuticas

A morfina faz parte do tratamento da dor intensa. Dentro da escala da dor, é utilizado principalmente para os pacientes em que os tratamentos alternativos não melhoraram a dor.


Efeitos adversos

Os efeitos adversos mais comuns são sonolência, constipação, náuseas, vômitos e retenção urinária, que podem superar 10% dos pacientes em uso de morfina.


Contraindicações

As contraindicações são pacientes com hipersensibilidade à morfina ou a qualquer componente da formulação, depressão respiratória significativa, asma brônquica aguda ou grave em ambiente não monitorado ou na ausência de equipamento de ressuscitação, uso concomitante de inibidores da monoamina oxidase (IMAO) ou uso de IMAO nos últimos 14 dias, Obstrução gastrointestinal, incluindo íleo paralítico..


Por que o ópio?

Extraído da papoula, nome popular do Papaver Somniferum, o ópio é utilizado há milênios pela humanidade. A planta já era cultivada pelos Sumérios há 5 mil anos e há registros do uso medicinal da droga na Grécia Antiga.


Em homenagem ao Deus do Sono

A partir de 1803, o aprendiz dedicou-se à tarefa em seu tempo livre e fez uma série de experimentos com os equipamentos antigos do chefe. Eventualmente, ele conseguiu isolar um cristal meio amarelado, que na verdade era um alcaloide.


Antitussígenos

Também conhecidos como sedativos da tosse, os antitussígenos correspondem a uma classe de medicamentos voltados a terapia farmacológica da tosse, que visam promover o alívio desse sinal/sintoma.


Antitussígenos de ação periférica

Dropropizina: este fármaco e o seu enantiômero levodropropizina agem diminuindo a sensibilidade das fibras C, não exercendo ação por mecanismo central.

image


definição

  • A morfina é uma substância capaz de se ligar ao subtipomu do receptor opióide. O receptor mué tido clinicamente como o mais importante receptor opioide, por conta da sua ação analgésica principal, por meio da inibição das vias nociceptivas. A estrutura da morfina foi determinada em 1902. É um derivado fenantrênico com dois anéis planares e duas est…

See more on sanarmed.com


Apresentação Da Morfina

  • A morfina é comercializada no Brasil principalmente pela marca Dimorf com as seguintes apresentações: 1. Comprimidos com sulfato de morfina de 10 e 30 mg. 2. Cápsulas de liberação prolongada com sulfato e morfina de 30, 60 e 100 mg 3. Solução injetável com sulfato de morfina: 3.1. 02 mg/ml em ampola de 1 ml; 3.2. 1 mg/ml em ampolas de 2 ml e 10 ml; 3.3. 10 m…

See more on sanarmed.com


Mecanismos de Ação

  • A morfina liga-se aos receptores do tipo Muopióides no sistema nervoso central (SNC), causando inibição das vias ascendentes da dor, alterando a percepção e a resposta à dor; produz depressão generalizada do SNC. Os opióides atuam promovendo a abertura dos canais de potássio e a inibição da abertura de canais de cálcio controlados por voltagem. Causando assi…

See more on sanarmed.com


Farmacocinética E Farmacodinâmica Da Morfina

  • Após administração oral, o pico de concentração plasmática é atingido em aproximadamente 60 minutos. A alimentação não altera a biodisponibilidade da morfina. Distribui-se ao músculo esquelético, fígado, rins, pulmões, trato intestinal, baço e cérebro. A duração da ação varia de acordo com a formulação. Enquanto formulações de liberação imediata (comprimido, solução o…

See more on sanarmed.com


Indicações E Doses Terapêuticas

  • A morfina faz parte do tratamento da dor intensa. Dentro da escala da dor, é utilizado principalmente para os pacientes em que os tratamentos alternativos não melhoraram a dor. É utilizado em off-label para pacientes criticamente enfermos internados em UTI (analgesia e sedação) e dispneia em pacientes em cuidados paliativos. A dose analgésica varia de 5mg até …

See more on sanarmed.com


Efeitos Adversos

  • Os efeitos adversos mais comuns são sonolência, constipação, náuseas, vômitos e retenção urinária, que podem superar 10% dos pacientes em uso de morfina. Outros efeitos comuns incluem edema periférico, depressão, insônia parestesia, tontura, ansiedade, anormalidade de pensamento, confusão, convulsão, erupção cutânea, diaforese, dor abdominal, anorexia, diarreia…

See more on sanarmed.com


Contraindicações

  • As contraindicações são pacientes com hipersensibilidade à morfina ou a qualquer componente da formulação, depressão respiratória significativa, asma brônquica aguda ou grave em ambiente não monitorado ou na ausência de equipamento de ressuscitação, uso concomitante de inibidores da monoamina oxidase (IMAO) ou uso de IMAO nos últimos 14 dias, Obstrução gastr…

See more on sanarmed.com

Leave a Comment